sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Amizade

Eram duas. Duas fêmeas de longo pescoço, amarelas com manchas marrons. Uma morreu. A segunda, deprimida, foi murchando, apática, sem saudar as centenas de visitantes. Morreu. Ficou doente. De depressão. De solidão. A girafa do zoológico de Sapucaia não reproduziu, viveu sem um namorado todo o tempo. Mas não conseguiu viver sem a amiga. 

P.s. Não gosto de animais em zoológicos. Mas essa estória é ainda mais triste do que as dos demais. 

3 comentários:

Paulo Candido disse...

Não era amiga, né? Era namorada...

Anônimo disse...

da nossa amizade

o quanto será difícil
para os homens compreender
que na natureza o amor
é tão distante de querer

o meu amigo se chama Vinícius
a minha amiga se chama Elis
já passou o meu tempo de vício
o mais bonito é ser feliz

o quanto será difícil
pra quem tem tudo e quer mais
apenas olhar um simples sorriso
e sentir a verdadeira paz

o meu amigo se chama Felipe
a minha amiga se chama Teresa
que beleza, que beleza
os olhos simples dessa gente
que não enxergam maldade
que não enxergam nada além
da nossa amizade...


Samuel Neves de Melo, 17 de setembro de 2010

André Brito disse...

Belo... muito bonito.

Só alguém de muita sensibilidade.

Beijo... grande!