quarta-feira, 29 de junho de 2011

Deus e seu oposto

A morte do ex-ministro Paulo Renato de Souza fez com que uma antiga reflexão se consalidasse. Muitos fazem política baseados na concepção religiosa de que existe o "todo bom" e o "todo mal", Deus e o Seu oposto, em curtas palavras.
Isso faz com que a ideologia passe a ser algo abstrato. Ou seja, Não é uma visão de mundo. É uma visão de mundo boa e outra ruim. Deixam De ser escolhas conscientes Com base no que acreditamos e passam a ser caminhos mágicos.  E a consequencia disso é que as idéias viram a própria pessoa. Ou seja, ele carrega idéias semelhantes a mim e, portanto, tem Moral,  bom caráter etc. Ele pensa diferente. Logo, é mal caráter, sem Bons valores. 
Evidente que torna-se mais fácil ser amigo de pessoas que pensam parecido conosco. Pelos valores comuns. Mas isso não torna todos que defendem as mesmas bandeiras santos. A história já
Mostrou isso.
O que a morte de Paulo Renato tem com isso tudo? Eu o combati por anos, acho a política que ele Representava um atraso. Mas ele Acreditava naquilo, não o fazia Por "maldade". Simples.  
 
 

3 comentários:

Anônimo disse...

Prefiro o tempo que resenhava livros.
Bons tempos, já era.

Anônimo disse...

Olá manuela, só gostaria de dizer que se em algumas situações alguns políticos e pessoas que tem responsabilidade de tomar decisões importantes para todos que vivemos no brasil, tivessem um pouco mais de compreensão com o que as pessoas, a população, acredita, sente, teme, precisa, deseja, sente falta, está cheia, algumas decisões seriam mais corretas de serem tomadas. parabéns família Gaviões, de um corinthiano, maloquero e sofredor samuel graças a Deus!

Retas de vistas disse...

Ele não o fazia por maldade,Manuela? Certamente.Contudo,o fez por "interesse de classe".Aliás,ideologia em uma sociedade dividida em interesses de classes antagônicas é muito menos uma decorrência de escolhas do que se acredita ser o certo ou o melhor caminho do que o que se sabe ser conveniente à sua classe.Paulo Renato,FHC,etc, são- vivos ou mortos-representantes não do que julgam ser o melhor caminho para o Brasil (aliás,é a esse fetichismo da luta supustamente democrática que a ideologia liberal-burguesa quer levar o povo a acreditar)mas,sim,das casses e elites dominantes brasileiras,caracterizado por seu escancarado desinteresse pela sorte do povo