domingo, 9 de setembro de 2012

Para sempre

Aos poucos percebeu que ela jamais sairia de lá. Ao contrário de todas as anteriores, ela não desapareceria lentamente, tal qual sonho que esfumaça ao amanhecer. Permaneceria ali por tanto tempo quanto ele fosse.
Ele já era ela em sorrisos, canções, poemas. Cicatriz.

3 comentários:

Anônimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=s2t1WJ7L03M

Samuel

(só aceita esse, por favor)

Anônimo disse...

Ela e ele vão bem. E, nós, vamos onde nada espera...até acharmos um dia, o que foi destinado. Ou não, diria Caetano

Leti Abreu disse...

não sei nem o que dizer, sinceramente... percebo que assim como eu, você gosta de Caio F, só pelo seu jeito de escrever...