quarta-feira, 1 de abril de 2009

Em Brasília

Estou em Brasília correndo bastante... E ainda muito cansada pela jornada do final de semana (aliás, de quinta à terça pela manhã).

Hoje, alguém que ainda mantém o anonimato (tenho curiosidade) postou um comentário sobre a ausência de manifestação minha sobre o diploma de jornalista (a obrigatoriedade ou não). Vou publicar aqui meu pronunciamento feito na Câmara sobre o assunto. Que ele acerta, é muito importante.

O julgamento começa agora às 14 horas. Fiz o pronunciamento ontem. Hoje, devo comentar a decisão.


Ademais, queria explicar para os leitores algumas das coisas que me motivaram a abrir esse espaço, esse blog.

Eu tenho uma atuação parlamentar há cinco anos. Sempre tive um mecanismo de prestar contas do mandato. A internet é muito eficaz. Por isso tenho o site http://www.eaibeleza.com.br/ e lançarei em quinze dias um novo instrumento: http://www.manuela.org.br/. Além disso, tenho espaço no orkut, no facebook, novas ferramentas para me comunicar com os cidadãos e estar próxima dos meus eleitores.

Esses instrumentos, entretanto, são da Manuela parlamentar. Das preocupações políticas minhas e do partido, dos movimentos sociais que atua etc e tal.

Por isso criei esse espaço, que tento atualizar todo tempo em todos os espaços com um pouco da minha vida, minhas angústias etc. Não vou reproduzir aqui minha atuação parlamentar, por isso. Aqui, descrevo os livros que li, as músicas que me inspiram nas noites de trabalho em Brasília ou no interior. Não tenho como falar sobre tudo o que faço, o que pensamos etc etc etc. Quando fiquei muito triste por estar com alguém doente da minha família postei aqui. Será que estava despreocupada com a crise econômica mudial por estar muito triste?

Portanto, gente, tentem dividir... Esse é um espaço para minhas reflexões que não serão feitas na tribuna, que são feitas enquanto estou caminho nos corredores, ando nas estradas etc.
Obrigada querido anônimo pela contribuição. É bom me lembrar que tem mais gente lendo aqui do eu imagino (quando começou eram só meus amigos bem próximos). E explicar que todas as outras ferramentas seguem funcionando.
Beijos galera!

4 comentários:

Flávio Renato Caetano disse...

Com certeza tem muita gente lendo este blog aqui. Acho até mais bacana, do que os meios oficiais da parlamentar, dá um carater mais humano, já que nós temos o costume de imaginar a(o) deputada(o) como uma pessoa distante das angustias e alegrias do dia-a-dia... Boa Sorte e Parabéns pelo trabalho e pelo Blog.

Anônimo disse...

Manu eu sei que vc naum quer explicar politica aqui. Soh que queria saber se essa eh a possição oficial do teu partido. Da pra falar isso?

Anônimo disse...

Cinco argumentos contra a obrigatoriedade do diploma

1)a melhor forma de melhorar a qualidade das faculdades de jornalismo é derrubar a obrigatoriedade do diploma. Vão sobreviver as escolas que realmente fizerem a diferença.

2)se fosse verdade que é necessário diploma para fazer bom jornalismo, o que se fazia no Brasil antes de 1968?

3)se fosse verdade que é necessário diploma para fazer bom jornalismo, o que se faz nos EUA? Na Inglaterra? Na França? (pra ficar só em três)

4)a falta de diploma não avilta os salários. A Folha de São Paulo (não exige diploma) paga salários tão altos quanto qualquer jornal, se não mais altos.

5) é ridículo dizer que as empresas querem o fim do diploma obrigatório para pagar menos. Não só porque os fatos provam que isso é mentira (ver ponto 4), mas porque o que qualquer empresa quer é ter os melhores profissionais. Os mais competentes. Os mais inteligentes. Os mais bem formados.

Um jornalista precisa fundamentalmente:

a) entender do assunto que vai cobrir, para não ser usado pelas fontes;
b) saber levantar informações relevantes que os poderes querem esconder;
c) transformar as informações numa história articulada e compreensível.
Escolas de jornalismo não resolvem o ponto a.

Poderiam até ajudar muito no b e no c, mas minha experiência mostra que não fazem isso.

Os pontos b e c podem ser aprendidos em cursos de especialização ou até na prática.

Manu disse...

Sobre o diploma: nunca discuti, com a direção do partido, sobre isso. Não é oficial, eu acredito.