sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Sobre o Haiti


Pensei todo o tipo de coisa desde que vi a notícia do terremoto no Haiti. Nos mortos daquele país pobre, no povo feliz que conheci em algumas agendas (nas universidades brasileiras, nos encontros políticos). Pensei na pobreza que já abala aquela gente e nas injustiças que a (?) natureza promove: por que com aquele povo já tão pobre? Já fiquei indignada com a imprensa (que adora explorar o drama das famílias dos mortos) ou com o tratamento diferenciado dado para alguns mortos. Pensei no trabalho de Dona Zilda Arns e na maneira como a vida acaba assim, de um segundo para o outro. Nos jovens soldados que colaboravam com a missão brasileira de paz e morreram, nas contradições que devem sentir aqueles que estão vivos. Pensei nos apenas 4 milhões de dólares que a União Européia enviará e no bonito papel do nosso país. Chorei ao ver os gritos de uma criança socorrendo a coleguinha da escola e ao notar o quão atordoado estava o Presidente do país ao caminhar pelas ruas.

Lembrei da passagem da música que diz que o Haiti é aqui. Deve ser. Através da solidariedade. Seja com recursos de nosso país, seja enviando médicos como fará o Grupo Hospitalar Conceição etc. O mais importante, eu acho, é valorizar a vida humana e lutar para que todos possam viver com mais dignidade. Isso é o que nos faz gente.

5 comentários:

SuSi disse...

Engraçado ver tanta gente do mundo se mobilizando, se sensibilizando... e ver o Consul do Haiti (pego numa sinuca de bico em mais um video surpresa) hostilizando seu povo... isto é mais uma vergonha!!! tsc tsc!!! Bom, mas... talvez não haja explicação, talvez não haja culpados... a certeza é de que existem pessoas sofrendo e precisando de ajuda... e pessoas de coração e alma boa, perto de lá ou mesmo distante, dispostas e procurando meios para que de qualquer forma possam ajudar!!! Isso é válido!!! xero grande p vc!!! =)

Marinha disse...

Fiquei nauseada com o comentário do cônsul. A hipocrisia está, infelizmente, em muitos. Meu drama particular torna-se um grão de areia frente a dor coletiva de um povo que parece já ter nascido sofrendo.
Tua sensibilidade me faz te admirar mais a cada dia, pequena grandona.

Anna Flávia disse...

É muita tristeza pra um país só.
E triste também é que precisa uma tragédia dessa pra ajudarem o pobre Haiti...

Saulo Cruz disse...

Se a imprensa não estivesse lá, fazendo o "show" dela, eu aposto que não teria um centavo ou um miligrama de água indo por caras.

A informação e o entretenimento são coisas confusas nesses tempos que vivemos. Vc não sabe onde um começa e o outro termina.

Cabe a cada um ter o bom senso de julgar.

Viviane Souza disse...

Bravíssimo!!
Faço das tuas palavras, as minhas.
...
Se todos fossem iguais a você...