terça-feira, 17 de julho de 2012

Humano, demasiado humano

Quantas histórias se revelam durante esse período de convívio tão intenso que é a campanha eleitoral!

Hoje inaugurei o comitê do vereador Tarciso Flecha negra, jogador do Grêmio com mais partidas da história. Ele disse, com os olhos marejados, lembrar bem do dia em que a mãe o disse: vai ter tua vida meu filho. Ele tinha 12 anos e partiu do interior de Minas para o Rio. Passando pelo Maracanã, disse para a irmã que ainda entraria naquele estádio. Ela respondeu que o muro era alto demais para ele pular.

Ele entrou com pela porta da frente. Tarciso é da turma do futebol antigo, paixão pela torcida, pelas crianças, dedicado ao trabalho social. Me ganhou por completo pelo coração do bem, pelo trabalho dedicado. Ali, com ele e Danrlei, eu colorada que sou, senti a força de nosso projeto. Os ídolos do Grêmio unidos pela paixão pela cidade. Pelas pessoas.

Saí de lá e inaugurei o comitê do Maroni. Fiquei orgulhosa de encontrar tantas lideranças do movimento comunitário ali no coração da Cidade Baixa. Vi, também, muitas lideranças do tempo em que nos conhecemos no movimento estudantil. Jovens que, como nós, dedicam anos e anos a construção da educação pública. Jovens que, nos bons tempos de movimento estudantil, estavam no PSOL, PT, PTB. Ali, vi gente da cidade inteira. Uma cidade que não pode ser dividida em Dona Nora da Vila Gaúcha que quer aprender a ler, e gente que não pode sair na rua pelo medo da violência. 


Muitos acham que Maroni se beneficia por ser meu noivo. Ao contrário, alguns tentam diminuir a trajetória dele, própria, por hoje ele ser meu companheiro. Poucos falam dos filhos, netos, esposas de políticos tradicionais, sem trajetória nenhuma, eleitos pelas potentes máquinas eleitorais. Mas muitos se espantam com um homem que tem vida própria e, casualmente, compartilha a vida afetiva comigo. Quanto de machismo e preconceito há no fato do homem ser publicamente "menor" (menos exposto) que a mulher?

O que faz do Maroni meu companheiro é o fato de sempre termos tido sonhos comuns, solidariedade, amor ao próximo, luta para melhorar a sociedade. Alguém consegue me ver a lado de um homem que não se indignasse com uma criança na sinaleira?

Terminei a noite abraçando minha amiga querida Titi. 28 anos, uns doze de UJS, trajetória semelhante a minha (foi da UNE e Relações internacionais da UJS). Amiga de caminhadas, praia, conversas e muitos risos. Sempre bola pra frente.

A campanha pode ser dura para alguns. Para mim ela é de uma riqueza infinita de sentimentos! Ela é humana, demasiada humana!

---------

Acordei com a pesquisa eleitoral em meu celular. Claro que é animador estar na frente. Mas sei que as eleições são ganhas nas ruas. Conversando com cada pessoa como tenho feito todos os dias.

3 comentários:

@henriqpimenta disse...

quem dera se todo eleitor tivesse um candidato a prefeito com a Simples capacidade de expor num texto tão fundamentado de amor e sincerada, a sua rotina de campanha. Não costume ler seu blog Manuela, as vezes até olho mas vejo que tens um potencial imenso. E tudo de melhor nesse texto foi o título e a forma como vê a humanidade, como toda. Vai que vai menina.. o Brasil não só POA precisa de pessoas como vc :)

Anônimo disse...

manu , estou torcendo muito por você, sou de teresina e sei que você tem dignidade, uma palavra bela , vasta e muito importante para as pessoas. Você cresceu muito manu , desde os seus tempos de vereadora, torço muito pelo seu mandato e eleição;D

valeriobrl disse...

Conheço Rodrigo mais de 7 anos, antes de Ele,ser noivo da "Manuela", ante de Ele ser candidato. Me orgulho de ser suo amigo..e sobram os dedos de uma mão quando faço as contas de quantos Amigos verdadeiro eu tenho.
Ele tem uma energia positiva que nunca mudou desde que eu o conheço,Rodrigo continua sendo o cara simples e bom de sempre. Abs,Valerio.