domingo, 30 de junho de 2013

Greve

Cruzas os braços como trabalhador em greve.
Olhas para mim como se fosse eu máquina parada que já não produz aquilo que deveria.
A Máquina dos sorrisos pontuais,
Respostas exatas e sonhos diminutos.

Cruzas os braços como trabalhador em estado de greve.
Me fazes máquina. 
Já não há espontaneidade, riso, vontade. 

Cruzas os braços como trabalhador em greve.
Eu? Em estado de choque.

2 comentários:

Matheus YOGA disse...

Estão saindo corações de sua chaminé, como você faz? Estar cozinhando bolinhos de coração? A receita é sua? Deliciosos, faça como quizer...

Anônimo disse...

Sobre o 'look' na entrevista da TV UOL/Folha:

- Miau!