sexta-feira, 1 de maio de 2009

O dia é do (a) trabalhador (a)

Hoje não é Dia do Trabalho. É o dia do trabalhador. Do que rala, produz e ganha muito pouco.
Ontem à tarde fui à Bento Gonçalves, conversei com o prefeito sobre Copa do Mundo e a emenda que destinei para acidade. Depois, prestei contas do mandato na UCS, campus de Bento. Saí de lá e fiz um debate em Carlos Barbosa, para uns 200 estudantes sobre participação, crise e juventude. Muito legal. A gurizada participou pra valer!
Hoje de manhã cedinho fui à São Marcos. Fui acolhida com tanto carinho pela equipe da Prefeitura e pelo Prefeito que cheguei a ficar emocionada! Depois, voltei a Caxias e participei do debate organizado pela CTB, com uns 700 trabalhadores sobre crise econômica e fator previdenciário. Bem legal.
O bom de fazer agenda na Serra é que vemos como esse Rio Grande é lindo!

4 comentários:

Marcio disse...

Oi Manuela,

adorei ter te fotografado no debate em Caxias :) teu discurso estava muito bom, como sempre. Quem bom que gosta da Serra Gaúcha. Espero que volte mais vezes à Caxias.

Abraço

Marcio Schenatto
(marcioschenatto@yahoo.com.br)

Lacom Esef Ufpel disse...

"...É o dia do trabalhador. Do que rala, produz e ganha muito pouco..." e hoje vive assombrado pensando que amanhã pode não estar mais ralando, produzindo e ganhando muito pouco, ou seja, a qualquer momento pode estar no olho da rua. Essa é a presente realidade dos industriários da minha região (Missões e Alto Uruguai)
Angélica
Angélica

paulo ricardo metalurgico de farroupilha disse...

que decepiçao. tu mente muito. eu nao vi mais que trezentos pessoas em caxias. tu e igual a todos politicos. mentirosa.

Manu disse...

Paulo,
moderei teu comentário, embora ofensivo para que possas ver que injustiça cometes: se errar ou superestimar ou submestimar um número num ato com trabalhadores (que vantagem eu ganho em mentir?????)me faz igual a todos os políticos... já pensou que pouco problemático seria o Congresso Nacional???
Não teríamos representantes dos patrões, nem do grande capital, só pessoas que discordariam se ali tinha 300 (tu), 400 (imprensa) ou 700 (eu)...
Ah! Feliz mesmo eu fiquei com os milhares que ficaram no ato a tarde. A mídia disse 20 mil. E tu?