sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Nojo

Acho a pior coisa que podemos sentir. Sou tomada por esse sentimento (é um sentimento???) poucas vezes. Fico nauseada quando minha indignação é tão grande que vira raiva, incapacidade, nojo... Eu já estava indignada quando soube que meus companheiros e companheiras do Sindicato dos Metalúrgicos de Caxias haviam sido presos durante manifestação pacífica na frente da Empresa Randon. Fui militante do movimento social e a situação de permanente criminalização dos mesmos aqui no RS, no governo Yeda, é revoltante. Entretanto, após falar com o meu camarada Assis Melo, presidente do Sindicato e vereador do PCdoB, fiquei nauseada. Os relatos do que foram submetidos, os nomes de amigos, como o Sálvio e o Seu Alcebiades, a forma como a Brigada Militar agiu, defendendo os interesses da empresa e não de manter a ordem para a população me indignaram ainda mais, me deram nojo. Soma-se a minha indignação o fato de ter ouvido a voz de um querido amigo no telefone e ver que um pai de família, de origem pobre, índio, eleito o parlamentar com maior número de votos da história da Serra gaúcha justamente por ser incansável na defesa dos trabalhadores e perceber o que ele passou. Eu tenho nojo de injustiça. Eu tenho nojo da violência. Eu tenho nojo, aquilo que de pior eu posso sentir, pelo que aconteceu em Caxias do Sul hoje.

6 comentários:

Anônimo disse...

Manu
aqui é o marcus, que estuda medicina em Cuba. Lá de Bom Jesus na serra gaucha, nao sei se te lembra de mim ou não.
To te escrevendo (e nao precisa publicar esse email) pq tenho uma entrevista muito boa que foi feita aqui em cuba com uma brasileira que se formou de medica aqui e esta indo para o Haiti na brigada de solidariedade criada pelos cubanos. gostaria de publica-la no vermelho mas não sei a quem devo encaminhar. Vc pode me ajudar???
Bom um grande beijo
meu email é cubasi29@hotmail.com

Nairo Bentes disse...

realmente lamentável!!! Instigante e revoltante.

Só uma correção, vc não foi, vc é miltante do movimento social! =D sempre militante!!

Um abraço!

Prof. Nairo Bentes

SuSi... disse...

Nojo de gente que não sabe tratar gente como Gente!!!

João Sérgio disse...

Realmente,esse tipo de situação é enojante,me embrulha o estômago.
Mais enojante ainda é quando alguns tentam justificar essetipo de ação truculente, utilizando,em pleno século XXI, de argumento da linha "questão social é caso de polícia"

Anônimo disse...

A todos os gaúchos,

A Gov. Ieda Crusius talvez seja a pessoa menos sensível que conheço como políticae como ser humano. Sua "raiva", sua "ira", "sua prepotência", sua arrogância", "sua incompetência", enfim não consigo vislumbrar um atributo positivo nessa senhora, levam-me a concluir que referida senhora sofre de algum problema muito sério. Pobre do meu Estado e pobre dos que foram maltratados pela polícia a mando da referida senhora. Aprenda governadora a fazer o bem. Acho que não conseguirá, pois quem demite publicamente o seu marido, não tem dignidade e nem classe. Espero que a senhora seja a última colocada nas eleições governamentais e que volte para casa para ter tempo de refletir sobre o mal que fez para o povo do RS, sob o ponto de vista das suas condutas, atitudes e tudo o mais que a senhora bem sabe que fez.

Almerida José Osório

Anônimo disse...

manuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu


Marcus