segunda-feira, 29 de março de 2010

O Homem de lata não é Dourado


Não tenho muito tempo para assistir televisão. Quando tenho, gosto mais de desenho animado do que de BBB. Se é por diversão, eu fico com a velha animação. No último período, entretanto, tentei assistir um pouco daquilo que é assunto em quase todas as mesas de bares por onde ando: Marcelo Dourado, o rei do BBB 10, o homem que volta de todos os paredões.

Fiquei chocada. Poderia dizer que fiquei perplexa apenas pelo fato de um homem metido a durão, homofóbico, que age de maneira violenta ter sido selecionado pela Rede Globo. Isso me surpreende menos, quase nada. Só se desilude, quem se ilude. E eu nunca tive grandes expectativas com esse programa. Também não me surpreende o fato dele voltar dos paredões. Não sei como funcionam essas ligações.

O que me espanta mesmo é o que tenho lido e ouvido a respeito dele. Pessoas que respeito, que admiro, torcem para ele vencer a edição como se ele fosse a cara delas próprias. Quando pensamos em preconceito temos que, necessariamente, pensar em como ele é construído, perpetuado, passado adiante. É isso que Dourado faz. Mesmo que tenha eventuais qualidades (se comparado a pessoas mais chatas ou quadradas que ele) não deixa de ser preconceituoso. E muito. É como ver inúmeras qualidades de alguém que bate na mulher. Vocês acham que esse tipo de marido é 24 horas por dia um agressor? Que não seduz? Que, eventualmente, não cuida bem dos filhos? Muitas vezes sim. Isso torna ele menos agressor? Ninguém é um monstro como vemos nos desenhos animados. As pessoas, todas elas, todos nós, temos qualidades e defeitos. Mas alguns são bem mais graves. Agredir uma mulher é mais grave do que não ser pontual. Ser preconceituoso é mais grave do que não ser divertido.

A Globo insiste em comparar Dourado com o Homem de lata de "O mágico de Oz". O Homem de lata, com um pouco de óleo, consegue ajudar os outros, consegue expressar seus sentimentos. Dourado não.

Temos muitos Dourados em nossa sociedade. Mas temos muitos Homens de lata de verdade para combater quem defende a violência e o preconceito.
----------------------------------------------------------------------------------------
Escrevo essa nota de rodapé de Brasília. Muitas pessoas vieram conversar comigo sobre esse texto e resolvi prestar alguns esclarecimentos. 1) eu não vejo o BBB com frequência. Logo, escrevo com base em alguns minutos observando o programa. 2)Por não assistir não torço para ninguém. Não sei se todos os outros são piores que o próprio Dourado. Podem ser. Resolvi escrever sobre ele porque ouvi algumas frases muitos infelizes dele. 3) Algumas pessoas ponderam que ele tem uma história bacana, de um guri que ajudava crianças pobres com prática esportiva. Beleza. Acredito. Como disse, não separo o mundo entre monstros e anjos. Mas isso não faz dele menos preconceituoso. Conheço pessoas geniais e muito afetuosas que são racistas. 4) Também não divido o mundo entre gaúchos e não gaúchos. Amo o meu estado, escrevi recentemente sobre isso aqui no blog. Porém, isso não me cega para aquilo que não defendo que exista no mundo em que vivo.

9 comentários:

João Paulo M. disse...

Sinceramente não vejo assim. Penso que o tratamento igualitário é a melhor arma para se combater qualquer tipo de preconceito. No caso do BBB o preconceito partiu da emissora responsável pelo programa, que adotou a preferência sexual como pré-requisito básico para a escolha dos participantes. As pessoas não devem ser escaladas, selecionadas e avaliadas pela opção sexual. De fato o rapaz foi bastante infeliz em algumas declarações durante o reality, mas não podemos nos esquecer que ele estava confinado há meses. O mesmo podemos dizer em relação a todos os outros confinados. Também não vejo a Globo comparando-o com o Homem de Lata do Mágico de Oz, muito pelo contrário. O Huck, que sem dúvida nenhuma é um dos apresentadores mais prestigiados da emissora, fez campanha aberta contra Dourado. Não acho que esse Dourado seja rei de nada nem de ninguém. Penso que ele ganhou tanta popularidade devido ao excesso da própria Globo e muitas pessoas não concordaram com este excesso. Quem não se lembra da eliminação da Cacau? A moça deixou a casa e a primeira pergunta do Bial foi se ela topava fazer um ensaio fotográfico sensual ao lado da Angélica Morango. Por que não ao lado do Elieser, que teve um romance com ela durante o programa? As coisas são naturais, a Globo quis forçar a barra e acabou transformando o rapaz numa celebridade tão polêmica. Na minha opinião, Dourado, Dicesar e todos os demais participantes são vítimas de toda essa história e acabaram julgados e condenados de forma muito injusta. Afinal, aquilo lá é apenas um jogo. Um jogo de péssimo gosto, é verdade, mas apenas um jogo. Antes de rotularmos Daourado de homofóbico ou Dicesar de heterofóbico, devemos nos lembrar que ambos são seres humanos, de carne e osso e tem defeitos e qualidades como todos nós. E não será nenhuma surpresa para mim se eles se tornarem grandes amigos após o termino do programa. Desculpa ai Manu, mas desta vez eu discordo de você.

Lianara **Lia** disse...

Oi Manu!

Concordo com tudo o que você escreveu!
Também fui motivada pelos “comentários dourados” e fui assistir pra ver “tal maravilha”!
Fiquei pasma!

O tal Dourado é um grosso, preconceituoso, machista, absolutamente sem educação, do tipo que resolve tudo na porrada!! Um horror!

Quando vejo as mulheres tão “encantadas” pelo dito cujo, só posso acreditar que Nelson Rodrigues tinha razão quando dizia:
- “Mulher gosta de apanhar”!

Lamentável!!!

Beijos

Lia♥

http://liaks25.blogspot.com

Marcelo C,M. disse...

Bem dito Manu. Ainda não consigo entender o que o povo brasileiro ve nesse programa, muito menos consigo entender como um tipo como aquele esta sendo o favorito. Brasileito só gosta de polemica mesmo. Não assisto muita tv, quando assisto, assim como você, é desenhos e jornal(e por causa da internet nem isso), os filmes que eu amo de paixão assisto somente no DVD, nos cinemas e videotecas.
BBB10 é o tipico exemplo que tv aberta já era e se a pessoa vai procurar alguma cultura, a unica coisa que se salva é o canal sete.

Patricia Thomaz disse...

Concordo em partes. Penso que realmente a proporção com que dourado vem sendo reverenciado é inaceitável. Sua personalidade grosseira e preconceituosa,pela forma como foi mostrada,foi vista como homem trasparente e íntegro, o que não se pode esquecer é que ninguém é 100% virtude e que tudo se passa em um jogo onde vence quem conseguir conquistar o público. Sendo que esse público não acompanha 24hs,sua maioria, vê os vídeos que são editados.
Por outro lado as pessoas não aprovam o lado grosseiro de dourado, mais apoiam o preconceito, pois ainda vivemos num mundo preconceituoso que o machismo ainda existe.

eliane disse...

Já postei minha opinião lá no facebook e deixo aqui meu aplauso.
beijo

Alana Pedruzzi disse...

Perfeito.

Felipe Braga disse...

Bom, não assisto ao programa. Acompanho apenas pelos jornais e pelos comentários que escuto ao redor.
Mas uma coisa posso afirmar: A edição do programa fez de tudo para o Dourado vencer.
Resta saber por que...

Beijos, Manu.

CÁSSIA E ELIZEU disse...

NÃO ACHO QUE MULHER GOSTA DE APANHAR.E ACHO QUE TEM MUITA GENTE QUE CRITICA QUEM ASSISTE O BBB.ISSO TAMBÉM É PRECONCEITO OU É OPINIÃO.NESSE CASO NÃO VEJO DIFERENÇA.SÓ PSEUDOS INTELECTUAIS!!!

Anônimo disse...

"Não tenho muito tempo para assistir televisão. Quando tenho, gosto mais de desenho animado do que de BBB."

Opinou sobre algo que você não vê, então não sabe do que está falando.

DOURADO WINS, FORÇA, HONRA E HUMILDADE !!!!