quarta-feira, 20 de julho de 2011

100

A pior de todas as piores coisas?
Já vi muitas coisas maravilhosas na vida. Vivi emoções raras. Recebo um carinho desproporcional de pessoas nas ruas. Mas não é apenas disso que a rotina de um mandato parlamentar é construída. Aliás, essa é a menor parte.
Vi muitas mães e pais desesperados sem leito para os filhos dependentes químicos. Vi filhos perplexos diante da falta de leito para a doença
Dos pais. Uma criança, em uma vila em Porto Alegre, me ofereceu ratão para comer. 
Mas nada, nada, nada é comparável aos vídeos e fotos de pedofilia. Nada. Nada me fez Perder o sono, sentir raiva, vomitar,Chorar tanto.
Não sei porque cargas d'água imaginava a violência física
Tradicional como a marca da violência sexual contra menores. Mas meu choque maior foi ver que, submetidas por anos a tal exploração, muitas crianças naturalizam a violência. Uma dor profunda corta o mais preparado coração ao entender a
Crueldade psicológica  com tais crianças. Existe o corpo. Existem as cicatrizes do corpo. Mas existe a
Alma. E nela os cortes são sempre mais profundos.
Hoje foi mais um dos dias que me lembrei disso. E resolvi pedir para todos discarem 100. 
Esse 100 significa sem medo de enfrentar e falar que isso existe. E que nós temos que lutar para mudar.

1 comentários:

Sharon disse...

Realmente dói Manu...Convivi com vítimas dessa violência e digo que o sentimento de impotência perante essa dor alheia é algo inexplicável!
Denunciar é um dever de cada cidadão para garantir o direito d@s noss@s pequen@s...