segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Dica de leitura

Apesar de ler muito, jamais tinha havia estado com o prêmio Nobel turco Omar Pamuck. Devorei as mais de 500 páginas de "museu da inocência". Detalhista, preciso, Pamuck nos mostra como é preciso ter a coragem para viver e como as pequenas lembranças são preciosas quando se ama. Lindo.

2 comentários:

Retas de vistas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis Navarrete disse...

Pamuk? Nunca se sabe qual o destino de um premio, no caso de Pamuk, Nobel de literatura em 2006, foi claro: seu envolvimento político contra o massacre dos armênios por parte dos turcos que motivou seu exilio para EEUU foi o motivo pelo qual recebeu tão importante galardão. Li Neve e achei sua literatura bem comum. Creio que dos últimos nobeis de literatura poucos são realmente literatos com obras merecedoras de tão prestigiado prêmio, entre eles destaco Gunter Grass, Camilo José Cela, Saramago e Coetzee. Para leitura de boa literatura indico Mia Couto, Susana Tamaro, Eduardo Mendonza e nossos João Ubaldo e Rubens Fonseca.
Você Manuela que diz ler tão volumosamente lhe indico um livrinho curto em linhas e longo em sentimentos; o livro é Seda do italiano Alessandro Baricco. Depois de tantas felizes uniões e tristes ropturas, estou a procura de uma mulher como a que descreve Baricco. Quem sabe provido de muita sorte eu a encontre para juntos construir nosso Jardim do Edén. Luis