quarta-feira, 7 de julho de 2010

Mais que Bruno

Sou colorada e sei o valor de um ídolo para sua torcida. E fiquei sem palavras com relação ao episódio que envolve o goleiro Bruno, do Flamengo. Mas acho que é um fato que nos faz refletir sobre três questões, necessariamente.
Primeiro sobre a violência contra a mulher. 45 mil foram mortas nos últimos dez anos. E a maior parte delas sofreu violência antes da morte. Muitas denunciam e não vêem a Lei Maria da Penha ser executada. Me veio a mente aquele episódio da jovem cabeleleira que foi executada pelo ex-marido. Ela já havia ido a polícia, havia colocado uma câmera no salão e mesmo assim não sobreviveu. É preciso reverter isso! É preciso garantir que delegacias da mulher sejam criadas e varas especializadas também. É preciso que o Poder judiciário entenda, é preciso que os governos invistam em delegacias, casas de passagem etc.
Esse fato também revela a face sinistra, Cruel da fama sem estrutura psicológica. É preciso estar atento à saúde mental. Não é possível que alguém cruel desse jeito seja são! Qual a estrutura dada a esses meninos que saem de nada e ganham o mundo?!? Eles viram deuses! E seres humanos não estão prontos para isso!
O terceiro aspecto é sobre quem são os nossos ídolos! O que se conhece sobre eles? Quem sabia algo de Bruno para além de ser um grande goleiro?!?
São apenas reflexões. Reflexões de quem está chocada com o fato mas quer tentar ver o que esta atrás dele. Existem muitos Brunos. Eles andam nos bairros pobres e ricos de todas as regiões do Brasil. A maior parte das vezes eles não aparecem e o silêncio impera. É preciso gritar, denunciar. É preciso fazer justiça e acabar com a impunidade dos agressores.

9 comentários:

Andreia disse...

Concordo totalmente com o texto.
Porém, já sabíamos do que o Bruno era capaz quando ele declarou "Quem nunca saiu na mão com a sua mulher". De quem fala isso e declara que ainda riria de tudo isso, pode-se esperar um assassinato. Esse cara é um psicopata que não demonstra um pingo de remorso pelo o que fez.

João Paulo M. disse...

Homem que agride mulher é capaz de qualquer coisa. Não existe crime mais covarde. Pessoas como o goleiro Bruno, o ex-governador Newton Cardoso e o cantor Netinho de Paula precisam receber punição severa para não passar a imagem ou a sensação de que há impunidade nesses casos de violência contra mulheres.

Julio Marin disse...

Primeiramente, lindo o blog. Segundo que a falta de estrutura psicológica em famosos é muito evidente. No entanto, somos uma sociedade que sofre desse mal. Por diversos motivos, criamos patologias sociais. E não temos mecanismos públicos para tal. O atendimento psiquiátrico, psicológia e até as coordenações escolares são pouco preparadas, ou inexiste esta espcialidade em lugares de fácil acesso. Pior ainda, é o culto todo produzido em torno dos craques de futbeol.

Já outra coisa bem diferente é o cumprimento da lei. No caso, a polícia deve ter achado na época do exame de urina que por ela ser a outra, deixa quieto. Sabes como são. Essa situação, que mulher, gay, travesti passa ao fazer um BO na Polícia.

Isso é o fim do mundo, e precisa mudar. Conto contigo!!!

Ferrão disse...

Concordo em grande parte com teu enxuto e objetivo texto que nos leva diretam/e a reflexões, porém, gostaria de ponderar que este evento não trás à luz o assunto "violência contra a mulher" - apesar de em outros episódios o vil goleiro demonstrar o mínimo respeito pelas mulheres. Se bem obervado, e aqui longe defender este desequilibrado, Eliza, cuja profissão já é sabida por todos - bastar busca básica por vídeos na web -, tentou simplesmente aplicar o velho golpe tão conhecido e praticado pelas famosas "Marias chuteiras"; ela só não contava escolher o pior dos homens para isto. Infelizmente pagou um preço bem alto pela busca de valores (não morais, mas financeiros/fama). Sinto muito mesmo é pela criança.

Alessandra disse...

Acho que não se trata apenas da fama. Ser famoso nesse caso só muda a forma das pessoas verem e a atenção da imprensa. O que todo mundo pensa é que um cara que veio do nada e teve uma oportunidade de crescer financeiramente (como ele) não tinha motivos p/ isso. No entanto acredito que a pobreza maior, qué não é de dinheiro, mas sim de caráter, criação e bons princípios não pode ser mudada com ascenção social. Se o vissem sem considerar a vida financeira enxergariam a semelhança com vários homens violentos e tão sem escrupulos qto ele.

Alessandra (@alesandras)

Douglas Dantas disse...

Manuela,
Faltou um ponto primordial. As mulheres precisam se valorizar. Essa garota, por exemplo, se rebaixou ao máximo. Ele já tinha humilhado verbalmente e fisicamente diversas vezes e ela voltou ao seu encontro. Quando as mulheres também aprenderem ao primeiro sinal de violência dizer não, basta, isso irá contribuir muito.
Concordo plenamente que esse e demais jogadores, entre outros "artistas" precisam de uma estrutura psicológica. Aliás, onde está o Flamengo? Que estrutura este grande clube tem dado a seus jogadores? Temos que pensar nisso também...

Andreia disse...

Ferrão,

Concordo que a mais penalizada seja a criança. Mas mesmo que a vítima tenha tentado dar algum golpe, os jogadores de futebol são bem grandinhos pra saber como evitar filhos ne? Absolutamente nada no mundo pode justificar a violência.

Cida disse...

Concordo com você. Acho que o MP pisou na bola veio não emitindo o pedido de prisão dele. Agora ta sumido e até qdo será que ficará assim. Será mais um episódio que veremos alguém famoso sair impune? Em uma conversa ele havia deixado claro a ela que não sabia quem era ela, pois vinha da favela. Absurdo pq nas favelas(comunidades) existem pessoas de bem na sua maioria.

Melhor da Mídia disse...

Nada justifica um comportamento criminoso, mas uma família ajuda muito na vida das pessoas, principalmente pessoas têm tendências naturais para o mal.