domingo, 27 de novembro de 2011

Nunca mais

Não. Nunca mais escreveria, ligaria, procuraria. Nada. Havia apagado o nome dele dos contatos, riscado do caderno. Nunca mais. Never more. E avisou: nunca mais, ouviu? 
Pega o celular. Mensagem recebida. Eu te amo. Resposta enviada. Como é maravilhoso te ler por aqui.
Qualquer amor  é superior às promessas feitas quando estamos tomados pela ausência dele.

4 comentários:

Emanuela Lopes disse...

É verdade...

Cris Ely disse...

Estas tuas postagens tinham que ter aqueles botões do facebook: o "curtir" e o "compartilhar". Né?

Manu disse...

a gente ia se entregar.... ia compartilhar com a pessoa errada

Leti Abreu disse...

Que textos queridos.. bem gostosos de ler.