sexta-feira, 25 de maio de 2012

A cidade

"no caminho que ninguém caminha, alta noite já se ia, ninguém na estrada andava... Nenhuma pessoa sozinha ia, nenhuma pessoa vinha"
(cantado por Marisa Monte)

Era tarde, estávamos todos cansados, subíamos o Morro Santa Tereza para participar de encontro na rádio comunitária evangélica. Estávamos no topo da cidade linda, distante, silenciosa, iluminada. Perto de um céu entre o azul e o negro, com estrelas encobertas pelas nuvens de um frio que não chegou. Estávamos no topo da cidade costeada por um lago. Ao lado das pessoas que observam a cidade e vivem pouco dela. E recebem pouco dela. No lugar mais lindo, com as pessoas que acreditam, ali mesmo me senti plena.
Era tarde da noite, estávamos cansados demais mas, ao olhar a cidade mais uma vez, senti que vale a pena.

2 comentários:

Cris Ely disse...

Vale a pena!

Por que você faz poema? disse...

"Nem a manhãzinha,
nem a madrugada
nem a estrela-guia,
nem a estrela d'alva"