quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Não temos nada para fazer em Porto Alegre?


Tenho orgulho de muitas responsabilidades que assumi em minha vida. Mas, sem dúvida, uma das maiores é o fato de ter representado ao povo de Porto Alegre e ao meu partido na Câmara de vereadores da capital de todos os gaúchos. Assumi com 23 anos recém feitos. Aprendi ali a respeitar as diferenças, a ouvir mais, minimizar diferenças superficiais e trabalhar duro para, mesmo com minoria, aprovar projetos relevantes de minha autoria. Ali fiz oposição ao Prefeito Fogaça e, mesmo assim, votei todos os projetos que considerava relevantes para a cidade.

Escrevo isso porque hoje cedinho li o Jornal Zero Hora e fui surpreendida pela notícia que um vereador da base governista quer exigir que as vereadoras mulheres usem roupa equivalente a dos homens, ou seja, terninho (ou vestido longo). Ah! Mais um detalhe: devem usar salto. Não acreditei. E mais, cita as vereadoras que não se vestem adequadamente: a vereadora Sofia Cavedon (do PT, foi vereadora comigo, me apresentou o poeta Fabrício Carpinejar) e a vereadora Fernanda Melchiona (PSOL). Fiquei pasma. Por diversos motivos.

O primeiro é o mais grave: será que a Câmara não tem nada mais relevante para tratar? Nossa cidade não tem problemas graves na saúde e educação, por exemplo? Como pode um vereador priorizar esse tipo de polêmica pequena ao invés de pensar a cidade que queremos ter em 4 anos? É para isso que elegemos vereadores. Fiscal de roupa não tem voto, tem?

O segundo motivo é a visão de mundo que um cidadão deve ter para julgar os outros pelas roupas. Acaso nossos políticos são melhores por usarem terno e gravata? Perdoe-me Sr. vereador. Muitos peões de chão de fábrica são mais honestos e trabalhadores do que muitos homens vestidos com terno e mulheres de terninho. Aliás, eu questiono até a brasilidade de uma roupa como o terno. Num país tropical é adequado enforcar nossos políticos com a gravata? Será porque ligam o ar-condicionado no máximo sem nenhuma preocupação ambiental? Com relação as roupas para mulheres, vale o bom senso. Eu nunca dei bola para isso. E sofri muuuuito preconceito por usar jeans e sapato baixo (eu cuido da minha coluna Sr. Vereador!!! E já tenho 1m74cm, ou seja, não necessito usar salto....).

Tenho a convicção que nenhuma das duas desrespeitou o plenário da Câmara. Por que isso se faz quando se desrespeita o povo, a população. E quero dizer que, guardadas todas as diferenças políticas e até ideológicas que tenho com ambas, sei que são duas lutadoras do povo porto-alegrense. Duas mulheres num ambiente tão masculinizado e machista. Ah! Agora apareceu a palavrinha mágica: machismo.

Talvez tudo isso se resuma ao velho conhecido de todas nós: machismo! Sofia e Fernanda: vocês já conhecem o machismo. Combatam-o. Como já fazem!

10 comentários:

Francisco Maciel Limberto disse...

Boa tarde Deputada Manuela!

É na verdade acho que alguns deles, após conseguirem o cargo fazem qualquer proposta pelo simples fato de ganharem notoriedade com a tal, neste caso ganha-se notoriedade pelo tema ridicúlo e sem fundamento algum...Como você mesma disse, não temos outros problemas maiores como saúde ou educação ?! Enfim basta o povo escolher melhor os SEUS REPRESENTANTES e cobrar medidas realmente efetivas para o bem da Sociedade.

Abraços!

Mauro Mendes Urban disse...

O que estas vereadoras tinham que ter é bom senso. Não pode ir trabalhar do jeito que elas vão. Tênis é pra praticar esportes, camiseta é para usar domingo no brique. Não precisar usar roupa de gala mas é interessante estar bem vestido.

luciana disse...

Claro que dependendo o local de trabalho, às vezes, é necessário usar determinada vestimenta, mas é ridícula a idéia do vereador. Ele, pelo jeito, mesmo tendo o que fazer em Porto Alegre, mata o tempo com coisas inúteis.

Manu disse...

Quando me refiro ao bom senso para as mulheres, luciana, me refiro justamente a isso: ninguém precisa dizer para alguém que trabalha em qualquer lugar que deve se vestir adequadamente. Ninguém vai de havianas para o escritório, nem para a farmácia, nem para a fábrica. Ou seja, bom senso significa roupa adequada ao local. mas não dá para admitir que uma sandália baixa ou um jeans (quenão deixe a barriga de fora) são roupas inadequadas, né?

Emanuel disse...

Gostei de ver tua indignação, Manu.
Mas imaginei que deves estar por aqui de ver aquele meu terno azul marinho comprado no século XX que fui na Othelo e comprei um novo.
Rá!
Bjo.

XFX disse...

Oi,
Não sou comunista. Mas gostei do blog. Pretendo continuar visitando.

Pequeno Universo Fã Clube Nordeste disse...

Parabéns pelo post Vossa Senhoria!
Tantos problemas a serem debatidos e alguém questiona as roupas de outrem!
Fala sério.
Protesto aceito

Iris Sunshine disse...

Ainda bem que existem pessoas com bom senso nesse país e tu é uma delas.
Como pode, tantos problemas a serem discutidos, tantas vidas em xeque, e o excelentíssimo Deputado se preocupar com as roupas das companheiras, ahhh, fala sério.
Parabéns pelo post.

Rodrigo Bispo disse...

Fico feliz por saber que ainda existem pessoas como você, que lutam por uma política digna de ser seguida, e melhor que isso, alguém que defende os ideais e costumes próprios com decência e personalidade.

Parabéns pelo blog!

Anônimo disse...

Erro sintático: o correto é COMBATAM-NO, e não combatam-o.