segunda-feira, 2 de novembro de 2009

De cabeça para onde?

Algumas vezes tenho a impressão de que as coisas estão fora de ordem, de cabeça para baixo. Mas, quando uso essas expressões concluo que, se estivessem de cabeça para baixo, talvez as coisas estivessem melhor.
Essa semana pensei nisso muitas vezes. Ontem, quando vi o Fantástico fazer uma avaliação sobre a roupa da estudante agredida na Uniban, me perguntei: onde eles estão com a cabeça? Há uma infeliz cultura de transformar a vítima em responsável pela violência que sofre. A mulher estuprada escuta que se não tivesse saído com tal roupa aquilo não haveria acontecido, a mãe da vítima de abuso sexual, escuta que deveria ter cuidado mais da criança quando esta estava com o tio (!!!), quando um casal homossexual é espancado dizem que é porque estavam se beijando em público (!!!!) e até quando somos assaltados ouvimos: "Também, andas com a bolsa aberta (ou o vidro aberto) e não queres ser assaltada?". Ou seja, o que o Fantástico fez ontem é bem mais comum do que gostaríamos. Mas é algo que deve ser condenado por nós todos.
O que me choca nas cenas da menina sendo agredida não é ela. É a intolerância, a capacidade de um coletivo entrar em surto a partir do preconceito para com alguém. Não acho que a educação formal seja muito significativa para mudar valores, mas me pergunto: esses são nossos universitários? Nem sei de que cursos eram eles, mas são esses aqueles que serão os médicos que vão atender crianças grávidas vítimas de estupro, por exemplo? Meu deus do céu...
Temos que dizer não a intolerância que muitas vezes se manifesta na nossa sociedade. E falar em alto e bom som: vítima de violência é vítima. Não é responsável.

9 comentários:

XFX disse...

@deputadamanuela Por que você acha um absurdo? Estavam tentando entender o motivo de tanto ódio. Tudo em vão. Óbvio que os valores

@deputadamanuela que eram para ser adquiridos no decorrer da vida foram perdidos. Não são poucos os jovens que teriam atitudes como aquela.


O rosa mais-do-que-chocante: http://croquisdelavida.blogspot.com/2009/10/o-rosa-mais-do-que-chocante.html

Lizi Oliveira disse...

Mto bom seu texto é tanta intolerancia com uma coisa desse tipo, e tanta paciencia diante de pessoas passando fome, ou sem nenhuma qualidade de vida..
Bem que o mundo podia msm estar de cabeça pra baixo, quem sabe assim os "cabeça-de-bagre" não suportassem e mudariam suas posturas!
Um abraço,
admiro seu trabalho como deputada..e tbm sua história de luta com a juventude!

Susana disse...

Que triste, degradante mesmo, que ocorram casos assim... Mas que satisfação ver que mais alguém teve a mesma reação que tive com a matéria do Fantástico. Fiquei satisfeitíssima quando li teu comentário no Twitter. É o mínimo que se espera de alguém com poder de formar opinião, causar reflexão... Já o fato de a comentarista de moda do Fantástico ter terminado a matéria dizendo que a atitude dos agressores não tinha justificativa, não elimina o fato de que primeiro ela condenou o modo de vestir da moça! Disse que a moça teria subestimado o poder da roupa! Como assim?! Existe moda pra quem que ser linchada?

Susana disse...

Também concordo em gênero, número e gau com a Lizi Oliveira! Abraços!

Rafael Reinehr disse...

Enquanto existirem pessoas que assistem a cenas, como a que vi ontem, de uma multidão em Bangladesh sendo reprimida a cacetada pela polícia por tentar invadir a fábrica que lhes demitiu com 3 meses de salários atrasados, e ficarem do lado da polícia, a luta continua.

Como alguém pode não perceber que a violência não é a do povo tentando arrancar, com o que lhe resta de humanidade, um pedaço de metal que seja da fábrica para tentar diminuir a humilhação imputada pelo opressor, mas do Estado e da polícia que defende SEMPRE o mais forte?

É lamentável, mas vivemos um mundo em que os loucos guiam os cegos. Se não está de cabeça para baixo, ao menos está girando tão rápido que não nos entendemos mais...

andypatriota disse...

Bom dia deputada Manuela... o Brasil esta exatamente como você descreveu... nunca somos nós os injustiçados em momentos derradeiros como nos seus comentários... nós, as vítimas, é que sempre "damos mole" para o azar... infelizmente muitas pessoas sem querer generalizar, parecem que sairam de uma aula sobre pré-história... acredito que uma boa escola fundamental iria resolver muita coisa por aqui...a longo prazo, é lógico! uma boa semana!

Cristian Korny disse...

minha desgarrada opinião é que esse troço de pecado está nos olhos do pecador não está na nudez...muito bem lembrado que a vítima da violência ou da injustiça carrega toda a responsabilidade sobre aquilo de que foi vítima, acho que estava me acostumando com isso, agradeço então...

S.A'rte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
S.A'rte disse...

A sociedade é vitima de seu proprio veneno.Mas ela é q está na contramão.