sexta-feira, 27 de novembro de 2009

O prato da Gabi


Gabi é uma jovem normal. Embora completamente anormal. Advoga, dá aulas, estuda, milita. Uma jovem normal. Embora tenha gostos completamente esquisitos. Estávamos as duas na casa de um amigo meu, em São Paulo. Eu não o conhecia tão bem a ponto de pegar o copo para me servir de água na cozinha. Havia apenas alguns petiscos para comermos enquanto nos preparávamos para a noite de sábado. Eis que a Gabi (que nunca tinha visto o indíviduo mais gordo) resolve exclamar sobre sua fome. Gelei. Por que? Porque conheço as fomes da Gabi. Nunca são normais. A Gabi não tem fome de petisco. Mas isso não significa que ela se resolve com um arroz e feijão. Ela tem umas fomes esquisitas. Ela resolve que tem que comer massa com molho de atum. Ou damasco com queijo. Ou lazanha. Ou churrasco. Ou qualquer coisa que não está a disposição. Mas o problema é que dessa vez ela resolveu sentir fome na casa do meu amigo. E ela não podia ir para a cozinha e se resolver. Tive que tirar ela de lá, levar ao teatro 9sabendo que ela odeia sentir fome), passar duas horas rindo no espetáculo para depois ela comer um pão com requeijão que era o que eu tinha para oferecer...

Conto tudo isso para dizer que hoje jantei no Bar perfeito para a Gabi! Conheci uma feijoada compacta. É um filezinho de porco, enrolado num creme de feijoada, empanado, coberto com uma folha de couve e com calda de laranja e pimentas! Ou seja, lá, no meio do nada o sujeito pode dizer: agora quero comer uma feijoada completa. E come. O Matita Perê, na Cidade Baixa, é o lugar perfeito para estar com as pessaos que gostam de coisas boas, em qualquer horário. E para pessoas normais como a Gabi.

1 comentários:

Gabi disse...

sem palavras... somente: AMEI!!!!