segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Um ótimo congresso

Terminamos ontem nosso Congresso do PCdoB. Foram 4 dias de discussões e debates sobre o nosso novo Programa. Centenas de delegados de todo o país participaram e deram importantes contribuições. Sei que para muitos parece estranho que passemos quatro dias sentados debatendo política e um programa de desenvolvimento para o Brasil. Para mim, essa é a chave das diferenças de nosso partido com quase todos os outros. Temos unidade de atuação política porque debatemos muito e chegamos a opiniões mais avançadas. Temos qualidade na nossa atuação política porque nos dedicamos a estudar o Brasil e o povo brasileiro.
Além de nosso novo programa (marcado pelas reformas estruturantes pelas quais o país deve passar), também debatemos a nossa política de quadros e elegemos nosso Comitê Central (CC). Tive a honra de ser eleita pela segunda vez para esse importante espaço de debates e de decisões partidárias. Renato Rabelo foi reconduzido Presidente e Luciana Santos, uma querida amiga ex-prefeita de Olinda, eleita vice-presidente. A Luciana representa a nova geração de nosso partido, nossa capacidade de bem administrar, nossa participação enquanto mulheres na vida partidária. Esse CC terá um enorme desafio pela frente: conduzir nossa atuação em 2010, ano em que todos os progressistas brasileiros terão que suar a camiseta para continuar (e continuar significa avançar) o ciclo inovador de desenvolvimento conduzido por Lula. É evidente que nosso programa ganha mais viabilidade num Brasil mudancista, com forte bancada de esquerda na Câmara e no Senado, com os movimentos sociais ainda mais articulado.
Quando realizamos um congresso no mesmo período em que vinte anos nos dividem da queda do Muro de Berlim também podemos fazer algumas reflexões especiais. Nesses vinte anos nosso partido refletiu sobre os erros da experiência socialista e avançou no sentido de construir um caminho próprio para o socialismo brasileiro. Esse caminho, depois desse 12o Congresso, passa a ser o nosso programa de desenvolvimento nacional. Mas se reflexões e avanços marcam esses vinte anos, também marca a convicção que sempre tivemos de que o rumo para nosso país e nosso povo é o socialismo.
Nesses vinte anos muitos foram iludidos ou desistiram dessa bandeira de libertação para os homens e mulheres. Nós não. Reconhecemos erros. Mas sabemos que a sociedade em que vivemos é repleta de contradições e é marcada pela exploração dos trabalhadores. Nós queremos um Brasil livre. Solidário. Justo. Humano. Desenvolvido. Nós lutamos por um Brasil socialista. E saimos mais animados para a luta nesse 12o Congresso.

1 comentários:

Hugo disse...

Tenha sempre bem claro que na política temos que ser fiéis a PRINCÍPIOS E A IDÉIAS. Nunca a pessoas ou a partidos. Politicamente falando, temos que seguir ao lado das pessoas e dos partidos que compartilham, na prática, de nossos ideais. Quem bom que seu partido ainda representa isso para você. bj, hugo