quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Cartas antigas

Encontro cartas antigas tuas,
Sonhos não realizados,
Planos que naufragaram.
Encontro cartas antigas tuas,
Tranco o choro dos últimos meses.
Torço para que tudo vá bem,
Rezo para que não sejas atropelado ao atravessar as ruas mais duras da cidade e da vida.
Encontro cartas antigas tuas.
A vida passada fez sentido.

5 comentários:

Anônimo disse...

As letras se embaralham
Tuas palavras despertam todos e mais alguns
sentimentos
Carinho
Raiva
Amor
Rancor
Saudades
Ódio
Um filme rápido emerge
Das velhas folhas amareladas
Guardadas em fundo de gaveta

Queria lançar ao mar essas lembranças
Mas não consigo
Queria exorcizar a memória
Que me tortura e devora
Queria lançar à lareira
essas folhas amassadas que aprisionam
a vida vivida e aquilo que escapou
Entre os dedos.

Queria descartar o passado
Queria te esquecer
E rasgar as velhas cartas
Que insistem em te manter presente
Mas não consigo
afinal é a minha vida
Não tenho outra
Goste ou não,
Sou fruto desta travessia
Turbulenta e perigosa
E a sensação de algo fez sentido
Enche minha alma de paz
E me autoriza a seguir em frente

valeriobrl disse...

Muito linda...

valeriobrl disse...

...muito linda.

Anônimo disse...

Jogue fora tudo aquilo que não serve mais. O coração já costuma guardar o que, realmente, valeu a pena.

H.

José de Arimatéa dos Santos disse...

Caríssima Manu,
Poucas vezes visitava seu blog, contudo quando esse lado poético seu aflorou por aqui não teve como não comentar seus lindos versos.
Dar uma olhadinha, por favor, quando tiveres um tempinho no meu Blog Umbu:
http://arimatea102.blogspot.com
Felicidades!