quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Marcada

Por favor, imploro.
Pega a faca e corta.
Arranca de mim tudo o que sobra.
Como todas as dores físicas,
Minha alma acordou doendo.
Sinto pelo que não quis ser no passado,
Sinto pelo passado que nos
Marca.
No corpo. E na alma.

1 comentários:

Matheus YOGA disse...

O Amor doi e como doi.
Bom que é amor,
Mas ruim por que doi,
Mas como saber se é amor,
Se não doi?

A Phênix não renasce só das cinsas.